SUSE-LinuxA SUSE® anunciou que o sistema operacional Servidor Empresarial SUSE Linux está sendo usado por mais de um terço dos 100 melhores supercomputadores do mundo, segundo a lista TOP500, um projeto que rastreia e identifica tendências em computação de alto desempenho (HPC, na sigla em inglês).

A SUSE é líder em supercomputadores, com uma combinação única de alta escalabilidade, arquitetura flexível e capacidade de lidar com grandes volumes de unidades de processamento central (CPUs). Ela também valida a força geral em ambientes HPC do Linux, presentes em mais de 95% da lista TOP500.

“A SUSE tem investido fortemente no desenvolvimento de soluções para os computadores mais rápidos do mundo”, disse Meike Chabowski, gerente de marketing de produtos para Servidores Empresariais Linux da SUSE. “O próximo passo em supercomputação é ir do alto desempenho para a alta produtividade, e nossos parceiros SGI, Cray e Teradata estão ajudando a liderar esses avanços. O Linux continuará a fazer parte dessas máquinas revolucionárias”, concluiu.

Nos últimos anos ocorreram mudanças significativas no cenário da computação de alto desempenho, chamada recentemente de computação de alta produtividade. Isto se deve, pelo menos em parte, ao surgimento de novas tecnologias de clustering e código aberto. A potência da computação aumentou muito em apenas alguns anos, permitindo que as empresas usem o poder dos supercomputadores em forma de clusters HPC Linux em hardware padrão.

Praticamente todos os setores estão adotando clusters Linux a fim de obter as melhorias de desempenho necessárias para cumprir metas organizacionais. Em uma evolução silenciosa desde 2011, a lista TOP500 agora inclui 270 supercomputadores industriais fora das áreas acadêmica, de pesquisa e governamentais, abrangendo todos os setores (com maior presença nos setores de Energia/Petróleo e Gás e de Provedores de Serviços de TI). O supercomputador industrial mais rápido, e número 11 na lista TOP500, é o Pangea, da francesa Total Exploration Production, um sistema SGI® ICE™ X rodando em um Servidor Empresarial SUSE Linux.

Bill Mannel, vice-presidente de servidores da SGI, disse que “A parceria com a SUSE nos permite utilizar o Servidor Empresarial SUSE Linux, um sistema operacional que combina, de modo único, alta escalabilidade, arquitetura flexível e a capacidade de lidar com um alto volume de CPUs”.

Desde 1992, os engenheiros da SUSE realizaram contribuições significativas para o avanço e a otimização do kernel Linux e das principais tecnologias de desempenho relacionadas ao kernel. Por exemplo, o Servidor Empresarial SUSE Linux foi o primeiro sistema operacional Linux no mercado a suportar conjuntos de chips de 64 bits, sendo sinônimo de alto desempenho em Linux rodando em sistemas de 64 bits e mainframes.

Referência: SUSE Linux

Publicado por Ascom

Assessoria de comunicação da empresa VirtualLink.