disco ópticoSegundo empresas os novos discos tem uma vida útil de pelo menos 50 anos, mais do que alternativas como cartuchos LTO.

A Sony e a Panasonic desenvolveram uma nova geração de disco óptico para armazenamento corporativo, com uma capacidade inicial de 300 GB. Batizado de “Archival Disc” (algo como “disco para arquivamento”), o discos terão as mesmas dimensões dos atuais discos Blu-Ray, e garantia de legibilidade por pelo menos 50 anos.

Os discos, que devem chegar ao mercado em 2015, tem três camadas de dados por lado, e devem chegar ao mercado em 2015. Com o tempo espera-se que a capacidade seja expandida para 500 GB, e depois 1 TB, por disco. Segundo as empresas estas capacidades serão possíveis através de técnicas de processamento de sinal, incluindo MultiLevel Recording.

A Sony e a Panasonic estão promovendo o novo formato para uso em serviços de armazenamento em nuvem e arquivamento de dados a longo prazo, em meio a uma explosão no armazenamento online. As empresas colocarão os discos no mercado separadamente, sob suas respectivas marcas.

“Como uma forma de mídia para arquivamento, os discos ópticos tem numerosas vantagens sobre as soluções atuais baseadas em discos rígidos e fitas, como a capacidade de serem armazenados a longo prazo e ainda assim manter a legibilidade”, disse um porta-voz da Panasonic. “Esperamos gerar demanda por arquivos que usem discos ópticos”.

Os discos não precisam ser armazenados em um ambiente especial com temperatura e umidade constantes, e não necessitam de ar condicionado, disse o porta-voz, que tambpem aponta o benefício na redução no consumo de energia em comparação ao armazenamento com fitas magnéticas em cartuchos LTO (Linear Tape-Open).

Embora os cartuchos LTO tenham maior capacidade, sua vida útil pode ser muito menor que os 50 anos do novo formato óptico. Os cartuchos LTO-5 Ultrium de 3 TB produzidos pela HP, por exemplo, são garantidos por 30 anos. Discos rígidos tem vida útil ainda menor. Um estudo recente apontou uma taxa de falhas de quase 12% após três anos de uso.

A Sony e a Panasonic também dizem que à medida em que os formatos de discos ópticos evoluem, a compatibilidade entre gerações garante que os discos mais antigos ainda poderão ser lidos por sistemas de armazenamento corporativo mais novos.

Mas as empresas não estão posicionando seus discos como uma mídia para o consumidor. “Este formato foi desenvolvido especialmente para o arquivamento profissional”, disse o porta-voz da Panasonic. “Atualmente não estamos considerando o uso doméstico destes discos ópticos”.

Referência: idgnow

Publicado por Alexandre Viana - Diretor VirtualLink

CEO da empresa VirtualLink , Pós-graduado em Redes de Computadores pela UFPA, Consultor Sênior em T.I.C. com ênfase em Soluções de Interoperabilidade entre os Sistemas Unix, Windows e Linux, Especialista em Soluções de T.I.C. baseadas em Software Livre.