satya-nadella-microsoft-msft-7145Esta quarta-feira, 8, é um dia estranho para os fãs da Microsoft, dos aparelhos Lumia e do Windows nos celulares. A empresa anunciou uma estratégia nova para seu negócio de smartphones, confirmou a demissão de 7,8 mil pessoas (a maioria ligada ao negócio de mobilidade) e assumiu o prejuízo de US$ 7,6 bilhões da aquisição da Nokia em 2013.

Mas o que isso significa para os Lumias? O CEO Satya Nadella diz que a empresa terá um “portifólio de celulares mais eficiente e mais focado a curto prazo”, o que, traduzido significa provavelmente menos smartphones Lumia. Hoje a empresa lança aparelhos para todas as faixas de preço, às vezes mais de um modelo na mesma faixa de custo.

A Microsoft promete agora focar seus esforços em smartphones em três áreas distintas: negócios, aparelhos baratos e tops de linha. “Traremos aos clientes corporativos as melhores experiências de gerenciamento, segurança e produtividade de que eles precisam, aos compradores de aparelhos baratos os serviços de comunicação que eles querem, e para os fãs do Windows os aparelhos top de linha que eles amam”, afirma Nadella.

O CEO também dá a entender que o negócio de smartphones vai mudar até mesmo de objetivos. “Estamos deixando uma estratégia de manter um negócio de celulares independente para criar um ecossistema Windows vibrante que inclui nossa linha própria de dispositivos”, conta Nadella em carta divulgada aos funcionários.

A reestruturação dá a entender que a Microsoft não quer brigar no mercado de gigantes como Apple e Samsung, de iOS e Android, mas quer tornar o seu negócio de Smartphones o mais rentável possível, mesmo com uma participação menor. 

Fonte: Olhar Digital

Publicado por Ascom

Assessoria de comunicação da empresa VirtualLink.