shutterstock_108953069-2O crescimento da utilização de dispositivos móveis está aumento a demanda de banda larga em 84% das empresas, de acordo com um estudo patrocinado pela BT e pela Cisco. Mais da metade dos gerentes de TI (56%) notaram queda de desempenho em algumas aplicações, impactando negativamente os ganhos de produtividade dos devices. Quase a metade (46%) dos funcionários com acesso Wi-Fi perceberam atraso ao ligar ou acessar um aplicativo, e 39% afirmaram que o desempenho está mais lento que o normal.

A pesquisa, que analisou o comportamento de funcionários em relação ao uso de seus dispositivos (notebook, tablet ou smartphone) em 13 regiões, revela que 76% dos profissionais acreditam que suas companhias precisam tomar medidas adicionais para aproveitar os potenciais ganhos de produtividade que os equipamentos oferecem. Para um melhor aproveitamento, é necessário incrementar a utilização de soluções de nuvem (33%) e de software especializado (32%), além de mais suporte para usuários de dispositivos móveis (32%).

Para que o BYOD (Bring Your Own Device) se desenvolva, é preciso que haja acesso a Wi-Fi. Apesar disso, 45% dos funcionários ainda não têm acesso sem fio para suas redes corporativas. Dentro desta porcentagem, mais de dois terços (68%) acreditam que se houvesse a rede, haveria um impacto positivo em seu trabalho, já que seriam mais eficientes e produtivos (31%); ajudaria a trabalhar com mais flexibilidade (30%); e permaneceriam em contato (26%).

Acesso Wi-Fi universal por meio de uma rede melhor é fundamental para o desenvolvimento do BYOD (Bring Your Own Device), mas 45% dos funcionários ainda não têm acesso sem fio para suas redes corporativas. Dos trabalhadores que atualmente não tem acesso Wi-Fi em sua organização, mais de dois terços (68%) acreditam que teriam um impacto positivo em seu trabalho: seriam mais eficientes e produtivos (31%); iria ajudá-los a trabalhar com mais flexibilidade (30%), e permaneceriam em contato (26%).

“Diante do fato de que a capacidade das redes, hoje, não é suficiente para atender à demanda de dispositivos inteligentes, mais de três quartos (76%) dos usuários acreditam que suas organizações precisam fazer um esforço para aproveitar a oportunidade. É claro que adotar o BYOD em suas mais diversas formas é muito mais do que simplesmente permitir que os funcionários tragam seus equipamentos e firmar um contrato de comunicação móvel com uma operadora, as organizações precisam considerar questões como: compatibilidade dos dispositivos, segurança, Wi-Fi, rede, desempenho do aplicativo, com foco na redução de custos”, diz Neil Sutton, VP Global Portfolio, da BT Global Services.

Além disso, a confiança nos profissionais prossegue como um conceito importante para a permissão de BYOD. Pouco mais de um quarto (26%) dos gerentes de TI pensam que todos os trabalhadores entendem os requisitos de acesso ou permissões para seus dispositivos móveis. Em 2012, esse número cresceu 19%, apontando um aumento na confiança. Porém, somente 26% dos funcionários que utilizam um dispositivo pessoal para o trabalho reconhece que isso representa um risco para a segurança da empresa, sugerindo que os gestores de TI estão apreensivos com certa razão.

Referência: Notícias UOL

Publicado por Ascom

Assessoria de comunicação da empresa VirtualLink.