11980-NOA8SL

Imagem: reprodução

Quando pensamos em Sociedade Conectada, muitos ainda têm a errônea sensação de que se trata de uma comunidade futurística, daquelas onde vivem a família JetSons. Engana-se quem pensa que ela já não é uma realidade, mesmo em terras tupiniquins. Consumidores de todas as partes do Brasil, hoje, já têm acesso às diversas tecnologias que antes demoravam meses, senão anos, para chegar em solo brasileiro. Essas tecnologias impactam diretamente o modo como as pessoas consomem produtos e buscam novas experiências.

Vamos tomar como exemplo a forma de consumir entretenimento. Antes, era necessário esperar uma semana para ter acesso a um novo capítulo da série preferida, com hora e canal específicos para isso. Hoje, com apenas um toque no controle remoto, é possível ter acesso à série completa, que pode ser assistida com qualidade de cinema mesmo estando em casa, em resolução 4K HD, com som oriundo diretamente da tela, que pode ser de até cem polegadas, proporcionando ao consumidor uma experiência antes inimaginável a apenas uma década atrás.

Quando poderíamos pensar que daríamos um comando de voz diretamente ao controle remoto? De acordo com uma pesquisa realizada pela Ericsson no último ano, mais da metade dos usuários atuais dos assistentes de voz inteligentes acredita que usaremos linguagem corporal, expressão, entonação e toque para interagir com os dispositivos de tecnologia como se fossem seres humanos. Duas entre três pessoas acham que isso acontecerá em apenas três anos.

A revolução tecnológica já chegou – vivemos hoje em um mundo interligado, onde até os bichos de estimação podem ser eletrônicos, e, por uma pequena mensalidade, acompanharem seus donos para o resto da vida.

A sociedade está no auge da conectividade. De acordo com a consultoria Strategy Analytics, o tráfego mundial de dados por redes móveis mais do que dobrou entre o terceiro trimestre de 2016 e o terceiro trimestre de 2017 – indo de 0,7 GB para 1,5 GB ao mês.

Apesar de toda essa revolução tecnológica, não dá negar que ainda há muito o que evoluir. A revolução 5G deve vir com tudo e levar a internet a um novo patamar.

Publicado por Alexandre Viana - Diretor VirtualLink

CEO da empresa VirtualLink , Pós-graduado em Redes de Computadores pela UFPA, Consultor Sênior em T.I.C. com ênfase em Soluções de Interoperabilidade entre os Sistemas Unix, Windows e Linux, Especialista em Soluções de T.I.C. baseadas em Software Livre.